CD A PISA É ESSA

Apresentação

lançamento do CD "A PISADA É ESSA"

Vamos a uma rápida exposição sobre o surgimento e a trajetória de 04 anos do grupo.

Era nos finais das festas, das cerimônias religiosas, que aconteciam os toques de Mazuca, no Ylê Axé Oxum D’ym, no bairro do Pina (Recife PE). Há mais de duas décadas todos dançam, e cantam, lembrando os grandes e velhos tempos dos senhores Mestres mazuqueiros da Jurema. A Mazuca era acessível a todos, sendo filhos ou não do Ylê.

A vibração era intensa, e começamos a imaginar como trabalhar células rítmicas sem mexer no ente religioso? Como cantar, e tocar, o que o povo gosta de ouvir, e dançar, sem se aprofundar nos fundamento da Jurema? O desafio era: manter um padrão de respeito, e dignidade, no trato com os entes brasileiros.

Passamos a observar como a dança e música possibilitam ao afro-pernambucano perceber, e vivenciar, a relação entre as células rítmicas da Mazuca e a Pisada do coco de terreiro dos Pretos Velhos. Outro importante detalhe é que se torna intensa quando é interpretada por descendentes, filhos e netos, da nação Nagô. Na busca para responder essas questões foi que o grupo nasceu, representado por filhos e netos de dona Maria da Quixaba.

Foi sua neta Joana Darc, vocalista e responsável pelo grupo, que iniciou essa nova formulação artístico-musical através das toadas e batidas, sendo herdeira direta do Ylê.

Anúncios